Espaço t
logo_espace_t

Carta Aberta de Jorge Oliveira – Presidente e fundador do Espaço t

Olá,

O meu nome é Jorge Oliveira, tenho 46 anos e fundei o Espaço t quando tinha 27 anos.

Era um jovem que acreditava nos sonhos, em mudar o mundo e nessa minha luta e sempre com a ajuda de uma grande
equipa, conseguimos transformar utopias em realidade.
Contribuímos para ver sorrisos em pessoas que já os haviam perdido e essas mesmas encontrarem novas vidas quando já quase nada tinham.
Hoje decidi escrever-lhe, pois passei a noite a pensar e senti que é você que me pode ajudar.
Este sonho de quase 20 anos tem sido uma luta diária mas que vale e valerá sempre a pena, quando vejo o nosso porteiro João Pedro, um rapaz com trissomia 21, feliz por trabalhar e se sentir o melhor porteiro do mundo, quando a Manuela diz que no Espaço t encontrou a sua casa e deixou de tentar diariamente o suicídio o que a levava diariamente ao Hospital de S. António, porque anal o que ela queria era afecto e lá não lhe davam e quando vejo a Alexandra a razão deste sonho ainda faz mais sentido, sempre na sua cadeira de rodas a sorrir e agora a lutar pelo seu 12º ano e porque por exemplo a equipa que comigo trabalha apesar de terem parte dos seus ordenados em atraso dizem-me “Jorge não desistas, vai em frente e vejo-lhes um sorriso no olhar”.
Claro que tudo isto me tira o sono, mas também me dá força para continuar a acreditar num mundo melhor onde os Homens valem mais do que o dinheiro, as politicas e tudo o resto.

dessin_espace_t
dessin_espace_t

Este ano fazemos 18 anos de existência e o slogan que decidimos criar para 2012 foi: “Nós existimos porque a felicidade existe”, mas a verdade é que tem sido um ano duro, pois somos uma associação onde o único lobby é a força de acreditar no mundo onde os Homens têm nome e valem por si. No fundo o mundo que todos sonhamos.
Há 6 anos o Espaço t teve talvez um dos maiores sonhos realizados: construir a sua sede através de fundos comunitários, um edifício na cidade do Porto, onde hoje centenas de pessoas realizam nele os seus sonhos.
Foi um projecto quase utópico porque apesar de financiado a 90% tivemos que suportar 10% do valor, pagar juros e outras tantas coisas. Mas mais uma vez conseguimos transformar sonhos em realidade.
Ao longo destes anos ganhamos muitos prémios em áreas distintas tendo mesmo a Fundação Gulbenkian nomeado o Espaço t para representar Portugal no prémio internacional Raymond Georis Price: The Mercator Found.
Em 2001 o Espaço t criou o seu departamento de formação dirigido a pessoas excluídas e com graves problemas socias, a funcionar numa escola primária cedida pela Câmara Municipal do Porto....

 www.espacot.pt

Porto, Espaço t, Abril 2012
Um abraço