Um livro para dar voz a quem a perdeu na rua
eapn_portugal.thumbnail_0_0.png

Sibila Lind

Novembro de 2017, 13:43

Para Christian Georgescu, que viveu nas ruas do Porto, o livro As Vozes do Silêncio - um grupo de sem-abrigo à conquista de cidadania representa mais do que uma vitória — é o registo da saída de um mundo de exclusão e ao mesmo tempo uma mensagem para a sociedade: os sem-abrigos existem e são pessoas.

Ana Cristina Pereira, jornalista do PÚBLICO (onde foi apresentado o livro esta quinta-feira), foi uma das responsáveis pela construção da obra, uma iniciativa d' As Vozes do Silêncio, uma das quatro plataformas do Núcleo de Planeamento e Intervenção nos Sem Abrigo do Porto.

O livro contém uma vertente poética e outra documental. A documental acompanha o quotidiano de pessoas sem abrigo e a sua organização em associações (Uma vida como a arte e a Saber Compreender), com textos de Ana Cristina Pereira e imagens registadas pela lente dos fotojornalistas do PÚBLICO Adriano Miranda, Manuel Roberto, Nélson Garrido, Paulo Pimenta e Rui Gaudêncio.

Além de reportagens e crónicas, o livro reúne contos, poemas, textos dramáticos, fotografias e ilustrações, juntando cerca de 80 pessoas, umas com experiência de rua, outras reconhecidas pelo seu trabalho — como Julieta Monginho, Susana Moreira Marques e Tiago Gomes, que participaram na apresentação em Lisboa.

A obra foi editada pela APURO — Associação Filantrópica e Cultural com o apoio do PÚBLICO. As vendas revertem para um fundo destinado a custear despesas associadas às necessidades decorrentes do processo de reinserção como tratamentos dentários, óculos e equipamento doméstico