Notícias da Liga Humanitária São Tomense
lhssd_150.jpg

É para nós uma grande satisfação responder às vossas perguntas. Só agora foi possível responder ao vosso mail de 30/01, porque o nosso único PC estava em reparação. Lamentamos a demora!

Respondendo às perguntas :
 

A criação da LHSSD, vem de um profundo sentimento e tristeza sentida perante uma doente que solicitou uma credencial junto à sua embaixada durante mais de três meses e não lhe foi passada. Sem apoio, nem dinheiro a única coisa que lhe restava era o bilhete de regresso. Regressou ao seu país, e um mês depois morreu!

A LHSSD, espera que esta situação jamais se repita em circunstância nenhuma! Pois ainda hoje temos situações terrivelmente tristes e lamentáveis!

- A LHSSD, tem a sua base nas comunidades carenciadas, e as pessoas reconhecem os nossos esforços e apoiam moralmente os nossos trabalhos e iniciativas. Partilham o desejo de ajudar, mas nada têm, ajudam no que podem partilhando o pão, sabendo que os doentes têm situações bastante difíceis, complicadas e tristes e conhecem as realidades ; quando podem ajudam com alguns cêntimos.  
 

 - A motivação dessas pessoas prende-se com as realidades dos factos à vista de todos nós. Pecamos por nada querer fazer em benefício dos outros. Por exemplo : um jovem de 25 anos que teve uma queda numa árvore em São Tomé, foi enviado para Portugal para tratamento ; é paraplégico e tem infecção urinária, não tem nenhum apoio da sua embaixada. Mas há pessoas amigas e nós que ajudamos dentro das nossas possibilidades. 
 

 - A nossa motivação é sentirmo-nos felizes fazendo outros serem felizes, é fruto do espírito de humildade. A nossa alegria é vermos sorrisos nos rostos das pessoas.
 

 - O  nosso programa tem varias vertentes direccionadas para a angariação de fundos, mas tem sido difícil. Basicamente organizamos excursões e venda  de algumas rifas, o que não chega para atendermos a tantas e tantas situações de fome, doenças e outras. A prioridade é levar doentes aos hospitais, comprar alguns medicamentos e alguns bens alimentares. Ficamos tristes e insatisfeitos por querermos fazer mais e não podermos! Sabendo que, com pouco, seríamos úteis a tanta gente...
 

 - A LHSSD, tem recebido cartas de apreço e de encorajamento, mas nada de apoio. Esperemos e aguardamos que ele chegue.
 

 - A LHSSD, foi fundada num espírito de humildade, os seus membros fundadores são uma mescla de homens e mulheres formados em várias áreas. Em segundo lugar temos profissionais e artífices. Em terceiro lugar temos membros associados que querem contribuir com os seus conhecimentos ensinando. São estas as nossas mais-valias e garantia.
 

 - A motivação destes membros e não só, vem da sua própria consciência. Há também o nosso envolvimento como organização : a propaganda, os panfletos, o estado limite das coisas, a miséria, a fome, a higiene dos lugares e das pessoas que lá vivem, a falta de moralidade e de respeito crescente. Tudo por razões de ninguém fazer nada! O nosso apelo é : ajuda-nos a fazer !
 

 - Note-se que a LHSSD se sente satisfeita pelo pouco que tem feito! As pessoas são as nossas testemunhas. Por exemplo : um bairro que no ano passado visitamos 8 vezes e convidamos a comunidade a uma excursão, onde tivemos a oportunidade de visitar um mosteiro,  um castelo, catedrais e outros sítios históricos. Verifica-se que, na ida, as conversas são entre conhecidos dos bairros, mas quanto ao regresso sentiu-se outra motivação ; havia alegria e satisfação ; foi notório. Duas semanas mais tarde a organização foi chamada para nova excursão para o mesmo local. 
A organização conhece o problema destes lugares, chama-se abandono. Corriam lá águas insalubres de esgotos entupidos, havia lixo e lama, cada um reclamava e nada fazia. 

A LHSSD, solicitou a intervenção da junta de freguesia deste concelho em nome da saúde pública. Na semana seguinte a limpeza estava feita e fora colocado um tapete de betão que serve de passadeira para as casas dos moradores.
 

 - Sim mudou, os moradores gostaram, sempre que se faz alguma coisa, mesmo que seja pequena, o cenário transforma-se, mas isso não é importante ! O mais importante é fazer sempre o possível para abrir as mentes das pessoas de modo a que elas fiquem conscientes do seu valor e queiram valorizar-se ainda mais.

O maior problema é não saber valorizar. Nada é impossível.
 

1 - Os testemunhos são numerososos, somente envio estes dois como exemplo :

    a) Há doentes  que vêm de São Tomé e chegam a ficar no aeroporto abandonados, a instituição responsável não comparece. A LHSSD, sabendo da situação, pede informações a essa mesma instituição e a resposta é : não tínhamos conhecimento, ou então : não tínhamos meio de transporte. Estas são as desculpas de sempre. São pessoas estranhas que acolhem os doentes nos seus lares ou os conduzem ao centro hospitalar.

    b) Pessoalmente recolhi um doente que estava abandonado no aeroporto e que foi entregue no hospital. O embaixador, tomando conhecimento da situação, numa audiência de urgência, confessou-me que o mesmo ia regressar na próxima semana ao país de origem pois a embaixada não tinha condições para se responsabilizar por ele. O doente sofria de úlcera gigante do duodeno, um homem de 32 anos de idade, pesava 44 Kilos. Assumimos a responsabilidade  deste paciente durante um ano até às suas melhoras e regresso. Agora encontra-se de saúde em São Tomé.
 

A LHSSD, e os seus membros estão determinados em fazer a diferença, e contamos com o apoio dos nossos amigos e parceiros, a nossa voz vai chegar até aos lugares mais distantes.

Queremos deste já pedir para levarem o nosso apelo a outras instituições que nos possam apoiar e ajudar. 

Com os nossos cumprimentos

   O Presidente da LHSSD

Florêncio Diogo de Barros