Construir relações baseadas na confiança mútua
dessin_hongrie.jpg

A Fundação Húngara Pérola Real tem como objetivo a educação artística e o desenvolvimento dos talentos dos estudantes, o apoio às crianças, a implicação nos programas de desenvolvimento comunitário familiar e uma cooperação institucional com escolas, hospitais e certas ONG.

Trabalhamos na região de Told, uma das mais desfavorecidas do país, e a maioria dos nossos estudantes, quase todos de origem cigana, vive na maior pobreza. Mas é preciso que os estudantes ciganos e não ciganos, pobres e ricos, trabalhem juntos.

O nosso objetivo de desenvolvimento comunitário focalizou-se numa das aldeias da nossa rede de ajudas. Dos 350 habitantes, só 7 têm um emprego. As casas estão a cair, não têm água encanada nem sistema de saneamento, e a rede de gás só cobre a rua principal. A segregação geográfica, a falta de acesso aos serviços públicos, o nível de educação baixíssimo e a parca economia local fazem com que ninguém tenha esperança em arranjar trabalho, nem em obter um lugar digno na sociedade.

Por isso é que nós lançamos, há mais de cinco anos, um programa complexo de desenvolvimento comunitário. Os resultados do nosso trabalho são palpáveis. Estabelecemos relações baseadas na confiança mútua e os pais compreendem que nós só queremos construir o futuro dos filhos deles. Exemplos de projetos: uma casa, um quintal comunitário, um sistema de bolsas, instalação de contadores de eletricidade com consumo previamente pago...

Lançamos também um projeto de fabrico de tijolos biológicos a partir de detritos agrícolas para servirem como combustível. São uma alternativa à lenha que é muito cara e reduzem a utilização de materiais sintéticos impróprios.

Encorajamos as famílias a serem autónomas e a criarem postos de trabalho locais. Queremos acabar com os estereótipos: as pessoas vivendo na extrema pobreza querem e podem modificar a sua situação se lhes derem ocasião para isso.

Criamos na net uma loja de produtos artesanais fabricados por ciganas e não ciganas que bordam os desenhos dos filhos em suportes como capas de telemóveis e celulares, almofadas, malas de mão e bolsas. Por cada objeto bordado recebem uma pequena quantia. O projeto e o seu portal chamam-se “SUNO“, que quer dizer “sonho“ na língua dos ciganos.
Oni, que pertence a esta comunidade, foi escolhida para ser uma das nossas seis empregadas. E ela explica: A Tia Nora teve sempre confiança em mim para tudo (até para o dinheiro) e isso faz com que eu também tenha confiança em mim. Toda a gente despreza a “ciganagem“, dizem que não somos dignos de confiança, etc. Mas Nora confia em nós! E todo este projeto se baseia na confiança.“

Nora L.R. Fundadora, Hungria
 

Fotos e Vídeos:
A Fundação Húngara Pérola Real