Com esse projeto, nós oferecemos ...
OMD-Port

Transformar os Objetivos do Milénio para o Desenvolvimento (OMD) nos anos pós 2015

Por que este projecto ?

  • 2015 : Data em que é previsto atingir os Objetivos do Milénio para o Desenvolvimento (OMD) ;

  • Os 8 objetivos não são suficientes para erradicar a extrema pobreza ;

  • Será que os 8 objetivos chegam até aos mais pobres ? Será que os mais pobres são chamados a participar ?

  • 2011 : Resolução das Nações Unidas incentivando o intercâmbio de experiências de luta contra as desigualdades, mas experiências que se dirijam às populações mais pobres e favoreçam a sua participação ativa.

  • 2013 : Em Setembro, as Nações Unidas irão avaliar o impacto dos OMD e começarão a escolher novos objetivos para depois de 2015.s

  • 2015 : Date fixée pour atteindre les Objectifs du Millénaire pour le Développement (OMD);

O que pretendemos ?

  • Pretendemos aprender através de projetos, de programas de ação e de iniciativas de luta contra a extrema pobreza que são elaborados para os mais pobres e que favorecem a sua participação ativa desde a sua concepção até à sua avaliação.

  • Dar a conhecer as iniciativas encorajando a participação de todos para que os direitos humanos sejam respeitados por todos.

  • O Movimento ATD Quarto Mundo quer que a voz, a experiência e o modo de pensar dos mais pobres e dos que com eles são solidários sejam ouvidos.

Por que este projecto é diferente ?

  • Pessoas vivendo em situação de pobreza são associadas a esta avaliação, desde a sua concepção até à sua realização ;

  • Tentamos procurar caminhos para a paz, começando por não aceitar a violência da miséria com as pessoas que a vivem no seu dia-a-dia.

Onde ?

  • Em todos os continentes.

Quem irá participar ?

  • Pequenas associações e grupos engajados contra a extrema pobreza, que não têm nunca a possibilidade de serem ouvidos a nível internacional ;

  • Membros do Movimento ATD Quarto Mundo de 8 países ;

  • Representantes de 25 países ;

  • Mas todas as contribuições são importantes.

Como participar ?

  • Respondendo ao questionário anexo, para que possamos fazer a recolha de relatos de experiências positivas e responder às perguntas feitas pelas Nações Unidas ;

  • Participando ao fórum de discussão do nosso portal ;

  • O Movimento ATD Quarto Mundo, através do Fórum por um Mundo sem Miséria, irá repercutir todas essas experiências junto da comunidade internacional, com a colaboração dos seus correspondentes.

O que iremos produzir ?

  • Textos de 1000 palavras para descrever os ensinamentos tirados de cada experiência ;

  • Também pretendemos ser criativos utilizando fotos, o portal eletrónico, etc.

O que vamos ganhar com isso?

  • Uma troca de experiências entre os correspondentes do Fórum por um Mundo sem Miséria, para que melhor nos possamos apoiar uns aos outros ;

  • Novos objetivos para eliminar a miséria, obtidos através da participação dos mais pobres e que tomem em consideração a sua coragem e o seu modo de pensar ;

  • Um novo modo de fixar objetivos para lutar contra a miséria.

De que tipo de apoio precisamos?

  • Precisamos da vossa experiência e/ou de saber quais os projetos que lhes parecem dever ser tomados em consideração.

Quanto tempo irá durar tudo isto ?

Calendário:

  • Abril de 2012 : O projecto será posto no portal

    www.mundosemmiseria.org

  • Maio de 2012 : Recolha dos primeiras experiências e troca de ideias com os nossos correspondentes

  • Março de 2013 : Envio das contribuições às Nações Unidas

  • Verão de 2013 : O Movimento ATD Quarto Mundo, juntamente com os seus parceiros, publicará as experiências recebidas e as propostas para o prosseguimento dos Objetivos do Milénio para o Desenvolvimento

  • Setembro de 2013 : Cimeira das Nações Unidas sobre os Objetivos do Milénio para o Desenvolvimento

  • Faites-nous connaître votre expérience ou des projets qui vous paraissent devoir être pris en compte

Para aprofundar

www.mundosemmiseria.org

www.atd-quartmonde.org
(
clicar em "others", e depois em Português)

 ” A  grande maioria dos avanços ignora frequentemente os que estão no fundo da escala económica e não chega até aos mais vulneráveis.”
Ban Ki-Moon – relatório de avaliação dos OMD – Novembro de 2011