«Deu para sentir que o povo está acordando»
arton1706.jpg

Frei Gilvander e Rosário contam-nos duas visitas que fizeram à Ocupação Dandara, onde vivem numerosas famílias desesperadas pela necessidade urgente de arranjarem alojamento. Vieram de lá cheios de esperança. À descoberta de correspondentes do Fórum Permanente sobre a Extrema Pobreza no Mundo.

Frei Gilvander M., do Brasil, escreve :

Estive na Ocupação Dandara hoje, dia 30/08. Voltei animado. Houve assembleia (…) enquanto Joviano atendia uma enorme fila de novas famílias que estão desesperadas necessitando de casa.

Depois, peregrinei por quase todo o acampamento, parabenizando quem está construindo e animando o povo a construir. Já tem mais de 30 casinhas sendo construídas. O medo está sendo exorcizado. Os tijolos estão entrando no bagageiro de bicicleta, no bagageiro de automóveis, em Kombi, em carrinho de mão, em carrinho de carregar criança, na bacia, em tambor d’água, etc.

Às 13:30h, almocei em uma casa já construída, já com água na torneira dentro de casa e luz elétrica. Era a casa de D. Maria (uma idosa muito esperta), Sr. Joaquim, Eduardo e Luísa, que com 15 anos, está no 4° mês de gravidez. Almoço gostoso.

Deu para sentir que o povo está acordando. Nossa luta não será em vão. Toda luta vale a pena quando a alma não é pequena. Penso que deveríamos começar a construção de um Centro Comunitário também.

Em Novembro, Rosário acrescenta :

Estive hoje na Ocupação Dandara, ainda não havia ido lá depois das chuvas. Realmente, a situação do povo está muito difícil ! Com o vento, alguns barracos e até construções de alvenarias caíram.

Mas o bonito é perceber a solidariedade entre eles. Pessoas com o material esperando para construir e emprestando para o vizinho !

Passando esta fase das chuvas e reconstruções dos barracos e casas, penso que poderíamos voltar a reunir com o coletivo de Educação para retomar o processo. […]

Ah, estive visitando uma Senhora D. Maria, que tem um filho de 2 anos com microcefalia. Ela tem outra criança de poucos meses. Está precisando de uma cadeira de rodas para esta criança com deficiência. Vamos lançar uma campanha nas Igrejas e através de nossos contatos : a necessidade dela é muito grande ; ela anda com as duas crianças no colo ; uma situação muito difícil ! Abraço na fé e na resistência !

Para reagir a este artigo, clique aqui.